EconomiaMeu Dinheiro

Dez dicas para aprender a economizar dinheiro

abr . 11

Para a maioria das pessoas, “o mês parece ser muito maior do que o salário”. Neste cenário, guardar dinheiro assemelha-se muito mais a fazer sacrifícios do que a desenvolver o planejamento financeiro. Mas, não precisa ser assim. Com pequenas mudanças diárias é possível economizar uma boa quantia e aproveitar essa sobra para investir.

Veja algumas dicas de como colocar em prática a saúde financeira da sua rotina.

  1. Registre todos os seu gastos e ganhos

Você provavelmente já ouviu falar da importância de colocar na ponta do lápis todos os valores do que você ganha e gasta ao longo do mês. É a famosa planilha de gastos. Embora bastante comentada, poucas pessoas efetivamente criam o hábito de anotar toda a movimentação financeira mensal.

A planilha serve como uma fotografia de onde foi parar cada centavo que você gastou ao longo do mês. Você vai se impressionar com o quanto aquele cafezinho “inocente” todos os dias no meio da tarde pesa no seu orçamento. Mais do que isso, irá conseguir identificar quais são os principais gargalos das suas finanças e se organizar melhor para identificar onde e quanto consegue poupar todo mês.

  1. Livre-se das dívidas

A multiplicação de valores deve ser usada a seu favor. Isso significa evitar ao máximo pagar juros por contas em atraso e aplicar o que conseguir economizar para ampliar sua renda. Por isso, se você está endividado, sua primeira prioridade financeira deve ser quitar suas dívidas.

É aqui que a planilha financeira começa a te auxiliar. Se não for possível pagar todas as contas à vista, utilize este recurso para saber quanto pode disponibilizar do seu orçamento mensal apenas para quitar os débitos pendentes.

  1. Evite compras por impulso ou como consolo

Neste início de ano, é muito comum encontrar muitas promoções ao passear por shoppings ou centros de comércio, e resistir a elas é uma verdadeira batalha. Outra situação que nos leva a comprar por impulso é a perspectiva de compensação particular após uma situação de estresse, como uma semana difícil de trabalho ou período de provas em faculdades. É comum usar a desculpa do “eu mereço”. Lembre-se a questão aqui não é merecimento, mas sim priorizar seus objetivos financeiros. Se você não estiver realmente precisando daquele item, evite ceder a estes impulsos.

  1. Aproveite mais os pequenos prazeres da vida

Nem todo momento de lazer e descontração precisa envolver grandes gastos. Aproveite o período de descanso para conhecer os pontos turísticos de sua cidade, dar uma volta no parque, ou mesmo fazer uma sessão filme com pipoca em casa com a família.

  1. Faça sua própria comida

Alimentação fora do lar é um dos itens que costuma pesar muito no orçamento. Sempre que possível, opte por levar marmita para o serviço, pois além de econômico é saudável. Afinal, a escolha cautelosa dos alimentos que vão para o prato garante mais saúde e qualidade de vida, fazendo com que você também economize com gastos médicos e remédios.

  1. Utilize os programas de recompensa do cartão de crédito

Evitar o uso indiscriminado do cartão de crédito é sempre uma opção preponderante para quem deseja economizar. Principalmente porque, quando as contas apertam, uma das estratégias mais comum é pagar apenas parte da fatura.

Mas, se você consegue utilizar o cartão de crédito com parcimônia, ele pode ser um grande aliado, pois é possível colher os frutos dos programas de recompensa/milhagens oferecidos por muitos deles. Se você viaja bastante ou mesmo planejar as férias com antecedência, por exemplo, é possível economizar uma boa grana resgatando os pontos do cartão e convertendo-os em milhas para passagens aéreas ou por reservas em hotéis.

Além dos cartões de créditos, muitas empresas e serviços também oferecem pontuação extra. Alguns exemplos são farmácias, supermercados e operadoras de telefonia. Leve isso em consideração e acompanhe essa pontuação.

  1. Apague a luz:

Uma prática simples que pode ajudar e muito o seu bolso e o planeta.

  1. Estabeleça objetivos e crie prazos para alcança-los:

Encare o investimento mensal como mais uma de suas despesas. Assim, você não corre o risco de achar que tem dinheiro sobrando na conta e acabar gastando com produtos desnecessários. O ideal é já poupar a quantia destinada para investimento no dia em que receber seu salário.

  1. Procure opções de investimento seguros e rentáveis

A caderneta de poupança ainda é o investimento mais popular do Brasil, mas existem no mercado investimentos tão seguros quanto ela, e bem mais rentáveis, tais como o Recebido de Depósito Bancário (RDB) e a Letra de Câmbio (LC).

Ambos são investimentos de renda fixa, no qual os investidores emprestam seu dinheiro aos bancos e financeiras recebendo o valor aplicado corrigido no final do contrato da aplicação. No PoupaBrasil Investimentos, por exemplo, você pode aplicar em RDB ou LC a partir de mil reais por mês, com tempo de investimento que pode variar de seis meses a cinco anos.

  1. Cuidado com os custos adicionais

RDB, LC, caderneta de poupança, fundos de renda fixa são algumas opções de investimentos seguros. Cada produto tem sua particularidade como valor mínimo inicial para começar a investir, tempo que o dinheiro deve ficar aplicado e taxas de administração e rentabilidade que podem estar atreladas a alguns destes serviços.  Importante certificar-se das despesas de tarifas, taxas de manutenção ou de administração que são cobradas e podem reduzir seus ganhos. Opte sempre pela isenção destas tarifas e taxas adicionais.

Compartilhe!