Meu Dinheiro

PoupaBrasil responde: 3 dúvidas de quem quer começar a investir

abr . 17

Deseja começar a investir e não sabe como? Saiba que não é necessário dispor de uma grande quantia de dinheiro para dar o primeiro passo. O importante mesmo é ter consciência do propósito do seu investimento. Seja para realizar um sonho ou acumular patrimônio.  Ter um objetivo claro te orientará no momento de definir o tipo de investimento a fazer, o quanto esperar de rentabilidade, predisposição a ser mais arrojado ou moderado e se deverá optar por um investimento a curto ou longo prazo.

 

Abaixo, o PoupaBrasil esclarece as três principais dúvidas de quem quer começar a investir. Confira:

 

1ª Dúvida – Como escolher o melhor produto?

A escolha de um produto de investimento está diretamente ligada ao seu perfil como investidor (moderado, agressivo ou conservador), a expectativa de rentabilidade e prazo para resgate do valor investido. Entre tantas nomenclaturas, letras e variáveis, não há quem não se confunda, mas basicamente há dois grandes tipos de investimentos: Renda Fixa ou Renda Variável.

Em uma breve descrição, a Renda Fixa é um tipo de investimento onde é possível ter uma boa previsibilidade do retorno. Dentro do Renda Fixa existem duas formas de remuneração: os prefixados e os pós-fixados. Os prefixados possuem uma taxa de rentabilidade fixa. Ou seja, no momento que efetuar o investimento, você já sabe exatamente quanto ele vai render. Os pós-fixados possuem uma correção baseada em algum índice, O mais usado normalmente é o CDI. Exemplos de produtos de Renda Fixa são o RDB – Recibo de Depósito Bancário, CDB – Certificado de Depósito Bancário e as Letras de Câmbio.

Diferente da Renda Fixa onde é possível estimar o retorno, a Renda Variável reúne os investimentos onde existem oscilações imprevisíveis determinadas por diversos fatores difíceis de controlar. Desta forma, o investimento pode performar bem ou até dar prejuízo. Exemplos de produtos de Renda Variável são os Fundos Multimercados, Fundos Imobiliários, Fundo de Ações, Mercado de Ações e COE – Certificado de Operações Estruturadas.

Assim sendo, a escolha do produto financeiro dependerá da sua necessidade e do seu perfil como investidor.

 

2ª Dúvida – Banco, Corretora ou Fintech?

Cada vez mais os investidores estão descobrindo as vantagens de não dependerem de um Banco para realizar seus investimentos e têm procurando por Corretoras e Fintechs independentes. Todavia, a função e diferença entre Banco, Corretora e Fintech ainda geram dúvidas.

A porta de entrada para realizar um investimento no Banco é o gerente da sua conta. Quando procurar seu Banco, nunca transfira a responsabilidade da tomada de decisão do seu investimento para ele. Nem sempre ele está preparado ofertar o que é melhor para você. É importante que você já chegue ao Banco sabendo o que fazer com as suas economias. A dica é entrar no site da instituição bancária e acessar a seção de investimentos. Nessa área do portal, você poderá avaliar todo portfólio oferecido. Também é importante ressaltar que os bancos cobram tarifas, taxas de carregamento, administração, custódia de títulos entre outros.

As corretoras geralmente possuem uma gama enorme de produtos financeiros e estão preparadas a ofertar um vasto portfólio em diversos níveis de retorno financeiro. Para utilizar os serviços de uma corretora, assim como nos bancos, você deverá fazer um cadastro/abrir uma conta e arcar com as mesmas taxas cobradas pelos bancos mais taxa de corretagem.

Já as Fintechs são instituições financeiras independentes e geralmente especialistas em algum segmento do mercado financeiro. Por serem instituições independentes conseguem ofertar produtos diferenciados, prestar atendimento personalizado, e geralmente não cobram tarifas, taxa de carregamento, taxa de administração entre outras. O PoupaBrasil, por exemplo, é uma Fintech de Investimentos especializada em Renda Fixa. Para fazer seu investimento por meio de uma Fintech, você deverá apenas efetuar seu cadastro.

 

3ª Dúvida – Preciso resgatar o investimento. Como fazer?

Se existe a possibilidade de você ter que sacar o valor investido antes do prazo contratado, fique atento! Nem todo investimento poderá ser sacado antes do prazo. Sendo assim, o ideal é se planejar para fazer um investimento a curto prazo em Renda Fixa, cujas regras permitam um resgate antecipado. O PoupaBrasil Investimentos, por exemplo, oferece títulos emitidos pelas instituições financeiras afiliadas, que atende os investidores que não tem certeza de manter a aplicação pelo prazo fechado, podendo efetuar o saque sem nenhum prejuízo.

Outro ponto a ser observado é que quando um investimento é sacado antes do prazo, incide sobre o valor uma tributação de IR (Imposto de Renda) maior do que se fosse retirado no vencimento. Se a retirada for realizada num prazo inferior a 30 dias da data de aplicação, sofre ainda a incidência complementar do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Todavia, no Renda Fixa, em nenhuma hipótese o valor resgatado será menor do que o valor investido inicialmente, pois os impostos incidem somente sobre os rendimentos e não sobre o valor principal investido. Ou seja, não se perde dinheiro mas, claramente, se deixa de ganhar no caso de uma retirada antecipada.

 

 

Sobre o Poupa Brasil Investimentos

PoupaBrasil Investimentos é uma fintech de investimentos, a única no Brasil especialista em renda fixa. É uma plataforma digital, independente e sem fins lucrativos, que reúne instituições financeiras sólidas, que funcionam como ponte de acesso para que brasileiros se planejem financeiramente e criem sua própria poupança, de forma justa, sem tarifas e taxas de administração, acessível e segura para que possam consumir no futuro àquilo que fará sentido para eles.

 

Mais informações: www.poupabrasil.com.br

Compartilhe!

Comente