Prazos de investimento: Como escolher o melhor?

05 de fevereiro de 2020
Meu Dinheiro

Sempre que o Comitê de Política Monetária (COPOM), se reúne para definir a taxa básica de juros, a Selic, o mercado financeiro fica apreensivo e, desta vez, não foi diferente. Se as expectativas de redução da taxa se confirmarem, ela irá de 4,5% para 4,25% ao ano, o menor percentual de 1999, quando entrou em vigor o regime de metas para a inflação. 

Nessas horas quem fez investimentos em renda fixa não costuma ter o que comemorar, mas ainda assim não vale arriscar o patrimônio na renda variável sem entender o que se está fazendo. 

Unanimidade entre os especialistas, o planejamento financeiro é um bom aliado nessas horas, já que ajuda a definir metas para objetivos a curto, médio e longo prazo, além de dar mais clareza para decidir qual o melhor investimento e por quanto tempo os recursos devem ficar rendendo. Lembrando que, quanto mais o dinheiro fica investido, mais rende.

Portanto, uma expectativa de queda da Selic não deve ser motivo para o investidor abandonar a renda fixa, mas sim para repensar o prazo dos seus investimentos. 

Mesmo com a Selic em baixa, é possível investir com boa rentabilidade e ainda assim manter o dinheiro protegido das oscilações do mercado. Um bom exemplo é a plataforma Poupabrasil – especialista na modalidade – que também se diferencia por ser simples e prática. Não é preciso ser um expert em finanças para fazer uma aplicação. 

O site reúne instituições financeiras que oferecem oportunidades de investimento com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) e registro na B³. 

Acesse www.poupabrasil.com.br , faça uma simulação e garanta a sua reserva de emergência.

Compartilhe!
error

Comente