Os recém-casados e as finanças

30 de dezembro de 2019
Meu Dinheiro

Um casamento só dá certo quando o seu verdadeiro sentido é o da união. Em alguns momentos será preciso ceder e as individualidades devem ser sempre respeitadas. O mesmo vale para as finanças do relacionamento. 

Se propor a organizar e controlar com mais carinho a vida financeira a dois tem que ter o objetivo de viabilizar a conquista dos sonhos do casal, seja ele uma viagem, a tão sonhada casa própria, a troca do carro ou a educação dos filhos, por exemplo.O casal precisa se esforçar para aplicar boas práticas no dia-a-dia, mudar os hábitos e se adaptar um ao outro visando estruturar bem as finanças da família.

Para ajudar nessa importante fase da vida a dois, elencamos alguns  pontos essenciais para a saúde financeira dos recém-casados:

Planejamento financeiro

O primeiro passo para a independência financeira é controlar o orçamento. Para isso, uma boa planilha de orçamento doméstico deve ser feita e compartilhada por ambos. Criar uma conta conjunta para as despesas da família pode ser uma boa alternativa.

Pagamento de dívidas

Começar um planejamento sem dívidas é sempre mais fácil, mas se junto com a nova casa vieram as contas do casamento ou dívidas individuais, o casal precisa se organizar ainda mais para quitar os débitos dentro de alguns meses e tirar esse peso do orçamento, voltando a ter liberdade no uso dos seus recursos.

Reserva de emergência

Desemprego, doenças graves ou necessidade de socorrer familiares são alguns exemplos de situações inesperadas ao longo da vida. Para enfrentar esses e outros imprevistos, especialistas em finanças pessoais são unânimes: é fundamental formar uma reserva de emergência. Esse “colchão de segurança” nada mais é do que uma espécie de fôlego para eventualidades.

Ao construir uma reserva, o investidor evita, por exemplo, precisar de dinheiro emprestado em momentos que fogem ao controle. Em geral, a indicação dos especialistas é poupar o equivalente a seis meses do custo de vida mensal. Por exemplo, se uma família possui despesas que somam R$ 5 mil, o ideal é ter um colchão de, no mínimo, R$ 30 mil.

Uma boa alternativa para formar a Reserva de Emergência é o PoupaBrasil – plataforma especialista em renda fixa – nela é possível investir a partir de R$1mil em aplicações com liquidez, que permitem sacar o dinheiro investido a qualquer momento, em caso de necessidade.

Investir as economias

Já faz tempo que a Poupança deixou de ser algo rentável, mas você também não precisa sair por aí colocando seu dinheiro em fundos e ações, a menos que, claro, você entenda do assunto e assuma os riscos dessa iniciativa. Se esse não é o seu caso, investir em aplicações de renda fixa pode ser uma boa alternativa, já que garantem boa rentabilidade e total segurança, ainda mais se estivermos falando em investimentos de longo prazo que, quanto mais tempo o dinheiro ficar investido, mais rende.

No PoupaBrasil o investidor também  não precisa de muito dinheiro para começar a investir e obter boa rentabilidade, diferente de outras plataformas cujo investimento inicial é sempre muito alto. Investindo pela Plataforma o investidor ainda tem a garantia adicional do FGC – Fundo Garantidor de Créditos.

Compartilhe!
error

Comente